18 de out de 2012

Capítulo VII: Glam, Glitter & Punk Rock: Performáticos ou andróginos, da contestação ao pop

Os anos 70 foram marcados pela grande quantidade de artistas e pela qualidade dos mesmos. Embora nessa mesma década o Rock tenha começado a dar sinais de cansaço. No início surgiram diversos estilos e sub gêneros e aqui vamos nos ater ao Glam Rock também conhecido Glitter Rock e que deu origem a outros estilos como o Punk Rock, o Glam Metal, o Gothic Rock e influenciou outros como a New Wave, o Pop Rock e também a moda nos anos 80.

A característica mais marcante do Glam Rock foi realmente o lado visual. Roupas extravagantes, maquiagem, sapatos de plataforma, glitter e purpurina, muitas cores e também uma androginia latente, quer fosse verdadeira ou teatralizada em outros casos. A Inglaterra novamente teve grande importância no movimento com artistas como T. Rex, Gary Glitter, David Bowie, Elton John, Sweet, Roxy Music, Slade etc. Os EUA também teve seu papel com músicos influentes até hoje. Lou Reed, New York Dolls, Jobriath, Kiss e Alice Cooper pra citar alguns. Com seus efeitos pirotécnicos e shows altamente teatrais, o Kiss teve uma grande importância e influenciou toda uma geração, inclusive o Heavy Metal, o Hard Rock e o Glam Metal, além de trazer uma grande contribuição ao marketing para os artistas com suas idéias revolucionárias nessa área para a época. Paralelamente, outros artistas que misturavam esse rock teatral com performances mais fortes e agressivas também deram as caras no início dos anos 70, como The Stooges, MC5, Iggy Pop. E, no meio da década, Suzi Quatro, The Runaways surgiram e fincaram a sua bandeira no mundo roqueiro, eram mulheres dando as caras nesse mundo quase que totalmente masculino. Vários filmes também ajudaram a fomentar a cena Glam e Glitter nos anos 70 como The Rock Horror Picture Show (75), Phantom of the Paradise de Brian de Palma (74), Slade in Flame da banda Slade, Ziggy Stardust and The Spiders From Mars (73) de David Bowie, esse talvez o mais emblemático deles.

Essa mistura de visual exagerado (na grande maioria das vezes kitsch), maquiagem, teatro e agressividade fez surgir um novo estilo muito importante na história do Rock. O Punk Rock surgiu como reação à artificialidade das bandas à época e também em resposta a Disco Music que estava em ascensão. Apesar de rivalizar com esses músicos e condenar os mesmos, muitos elementos da música em si, do estilo Glam, foram amplamente explorados pelo Punk Rock, assim como parte do visual, maquiagem e mesmo covers desses artistas. O Punk também influenciou a moda na época e continua influenciando até hoje. Em 1976, Os Ramones nos EUA e o Sex Pistols e o The Clash na Inglaterra surgiram e tornaram-se os pilares do Punk Rock, sendo reverenciados até hoje. A revolta e rebelião contra o stablishment, a ideologia anti autoritarismo formavam o mote da vez e transformou o Punk Rock em um dos mais importantes, senão o maior, fenômenos culturais e musicais do Reino Unido. E, obviamente influenciou e/ou gerou alguns sub gêneros e estilos nos anos vindouros como o Post Punk, a New Wave, o Rock Alternativo e o Pop Punk. 


11 de out de 2012

Capítulo VI: Hard’n’Heavy: A nova e definitiva cara do Rock

Outro Gênero de grande importância e, provavelmente, o mais influenciador e delineador para muitos estilos vindouros foi o Heavy Metal, que segurou praticamente sozinho nas costas as cifras do Rock na década de 80 quando tudo parecia que ia ruir pelo grande apelo comercial da música pop da época. Elementos claros como o uso de escalas modais, influências na música clássica, células rítmicas mais rápidas e diversificadas além de temáticas mais sérias ou mesmo sombrias distinguiu o Heavy do Hard Rock. Mitologia, ficção e poesia eram temas recorrentes nas letras. O visual também começou a tornar-se característico, o preto como principal cor, diferente do colorido e glamuroso, por assim dizer, do Hard Rock. Novamente, nos anos 70 o Rock influenciou o mundo da moda, uma sub cultura masculina emergiu fortemente com o Heavy Metal, que foi tachado por um período como uma “sub cultura da alienação”, por seguir um código de autenticidade exclusivo, baseado na devoção e lealdade à sua músicae a sua própria maneira de vestir-se e comportar-se. No entanto, esse código demandava uma forte oposição ao sistema autoritário da sociedade em geral. O termo “poser” (para determinar pessoas falsas ou impostoras) surgiu, assim como o termo ”true” (para determinar o contrário) e são usados até hoje por outras culturas, com o mesmo significado. Os fãs mostraram pra indústria a grande possibilidade de lucros porque contribuíram diretamente com a criação de fanzines e merchandising dos seus ídolos. Muito bem explorado pelo Kiss nos anos 70 até hoje.

O grande nome e principal banda foi o Black Sabbath, de onde saiu Ozzy Osbourne, um dos maiores astros do rock até hoje, e Toni Iommi, a síntese da guitarra no Heavy Metal, rivalizando com The Beatles, Led Zeppelin, The Rolling Stones e Pink Floyd na história do Rock. O Black Sabbath criou o Heavy e foi seguido por muitos, inicialmente na Inglaterra e Europa e depois nos EUA. No início, além deles, o Deep Purple, com aquele som com teclados portentosos fazendo o contraponto a guitarra virtuose, elementos de suma importância a todos os estilos dentro do universo da música pesada, lideraram essa corrente, seguidos logo em seguida, já nos anos 70 pelo Judas Priest, Motorhead, UFO, Rainbow (banda que lançou Dio para o estrelato), Scorpions da Alemanha, Triumph do Canadá, Van Halen, Captain Beyond, Bow Wow do Japão, e tantas outras.

A partir do fim da primeira metade dos anos 70, o Heavy Metal começou a mostrar estilos distintos, inicialmente por regiões. O Heavy Metal americano tinha uma cara, enquanto que o inglês e europeu mostrava outra faceta. Com o surgimento do Punk Rock e a ascenção da Disco Music as primeiras bandas perderam terreno mercadologicamente e as bandas criaram a própria cena independente seguida pela sua audiência devota. Assim surgiram movimentos como a NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal – Nova Onda do Metal Britânico) que determinou uma linha musical a ser seguida e nos EUA o início do Thrash Metal. Mas esse assunto fica outra oportunidade.

4 de out de 2012

Capítulo V: Anos 60/70 – Hard ou Heavy?: Diversidade e qualidade


No fim dos anos 60 e até quase o fim dos anos 70, no universo do Rock, a quantidade era, praticamente, sinônimo de qualidade. Muitos artistas e bandas e gêneros distintos se multiplicavam, fortaleciam o Rock e se firmavam, proliferando-se por toda a parte do globo, inclusive no Brasil. 4 grandes grupos principais nasceram nesse período: Hard Rock, Heavy Metal, Rock Progressivo e Glam Rock. Cada um deles nasceu tímido inicialmente e, em seguida, gerou outros sub gêneros e estilos fundamentais para o Rock, tanto que essa época é  conhecida como o período do Classic Rock, que abrange esses 4 grandes gêneros.

Algumas das melhores bandas e artistas seguiram a corrente do que era chamado inicialmente de Hard Rock, como o Led Zeppelin, a banda mais significativa na construção desse gênero nos anos seguintes. Apesar de ter tido um início polêmico pela acusação de plágio de algumas músicas do primeiro disco, o Led forjou os elementos mais importantes do estilo, guitarra distorcida e bluesy ao mesmo tempo, influências no Folk, Country e Blues, as principais raízes do Rock, e grandes shows aliados a músicos soberbos e carismáticos. Além do Led Zep, o Reino Unido ainda contribuiu com bandas como  Free, depois Bad Company, Nazareth, Uriah Heep, Queen (depois mais voltada para o Art Rock), Slade (grande influência para o Glam Rock), Thin Lizzy, entre outros. Como o Rock já era um fenômeno mundial, outros países renderam frutos. Um deles foi a Austrália, de onde surgiu o maravilhoso AC/DC. Os EUA voltaram a ter grandes representantes e também ter uma importância fundamental estabelecendo-se como o maior mercado do mundo para o Rock até hoje, quer seja pelos clubes e empresários responsáveis por grandes tournées que esse mercado propiciou ou pelos artistas surgidos no período, muitos deles na ativa até hoje. Blue Cheer, Iron Butterfly, Vanilla Fudge, Cactus, The Amboy Dukes que gerou o grande guitarrista Ted Nugent emergiram da cena psicodélica, Lynyrd Skynyrd, ZZ Top com seu Blues Rock sulista, Foghat, Alice Cooper e depois o Kiss como duas referências para o Glam logo em seguida, Blue Oyster Cult, Aerosmith, Grand Funk Railroad, isso só pra citar algumas. O Rush do Canadá mostrando um som virtuoso, no início influenciado pelo Led e depois criando um estilo único mais inclinado para o Art Rock e Prog Rock. Outros tantos de relevância e que contribuíram de formas variadas para o movimento cresceram e multiplicaram-se.

O Hard Rock se consolidou, ganhou personalidades distintas mas próximas umas das outras e com o passar dos anos tornou-se muito abrangente e deixou de ter uma conotação tão importante como gênero, acabando por definir, nos anos 80, um estilo mais restrito e com influências também do Glam Rock do início da década, do qual falaremos mais adiante.