8 de nov de 2012

Anos 80 – A década do exagero e da consagração do Rock


Os anos 80 chegaram e, aparentemente, o Rock parecia que sucumbiria a Disco Music e a música pop de uma maneira geral. Mas a semente plantada desde os anos 30 estava fortalecida. O Punk dos anos 70 acabou originando a New Wave que na verdade, nada mais é senão o Pop Rock dos dias atuais. Estudantes de arte tiveram um grande interesse pelo Punk Rock e infiltraram-se na cena Punk. Bandas e estilos desenvolveram-se a partir daí com um approach mais artístico e inicialmente o termo serviu pra diferenciar essas bandas com uma pegada mais leve e pop. Do Punk também surgiram o Gothic Rock, Post Punk, Synthpop e outros. A guitarra deixou de ter uma importância fundamental e cedeu espaço para os sintetizadores, amplamente usados no Rock Progressivo, que tiveram um papel relevante nesse Pop Rock. A indústria percebeu o poder comercial desse tipo de rock mais acessível e investiu pesado, tendo um resultado muito lucrativo. Surgiu a segunda invasão britânica com artistas como The Police, Duran Duran, Elvis Costello, Eurythmics, U2, Bauhaus, The Cure, Sisters of Mercy e muitos outros mas, é óbvio que os EUA tiveram seus heróis como, Talking Heads, Bruce Springsteen, Blondie, The Cars e mais. Nesse mesmo período surgiu a MTV que deu grande força e impacto visual ao Rock, algumas bandas foram eclipsadas ao status de estrelas internacionais.

De outro lado, o Heavy Metal, vindo do fim dos anos 60 e início dos anos 70, sofreu um hiato frente ao movimento Punk dos anos 70. Mas, com algumas bandas continuando fortes e crescendo com algum sucesso comercial, distanciando-se da influência e dos elementos do Blues e se auto definindo com um som mais radical e calcado na guitarra, ou melhor, da dupla de guitarras em oposição ao som comercial do Pop Rock e New Wave. Surgiu o NWOBHM (New Wave Of British Heavy Metal), Motorhead, Black Sabbath, Judas Priest, Iron Maiden, Saxon, Def Leppard, Diamond Head, Venom e tantos mais mostravam ao mundo o quanto o Rock poderia ser visceral e lucrativo ao mesmo tempo. Nos EUA Eddie Van Halen apareceu com uma técnica invejável e amplamente admirada causando um furor imenso. Randy Rhoads, Yngwie Malmsteen mostraram guitarras com influências na música clássica e foram seguidos por legiões de jovens guitarristas mundo afora. Ainda nos EUA, o Hard Rock gerou Motley Crue, Ratt, Quiet Riot, Twisted Sister que incorporaram elementos do Glam Rock e fizeram fortunas com as vendas de discos e tours mundiais. O Heavy Metal dividiu-se em diversos estilos como: Thrash Metal, Speed Metal, Power Metal, Black Metal só pra citar alguns. Era o Rock indo ao seu mais extremo. Metallica, Anthrax, Megadeth, Exodus, Slayer. A Europa e o Mundo rendeu-se ao Rock e ao Heavy Metal. No Brasil tivemos o Rock In Rio I, simplesmente o mais rockeiro de todos os festivais e de uma importância similar a do festival de Woodstock. A Europa, a Ásia e até o Brasil renderam grandes bandas como Mercyful Fate, Accept, Celtic Frost, Helloween, Loudness e Sepultura. Nos EUA, 3 bandas deram o pontapé inicial para a criação do Prog Metal quando misturaram os elementos do Heavy Metal da NWOBHM com o Rock Progressivo, foram o Queensryche, o Fates Warning e o Dream Theater. O virtuosismo em prol da boa musica.

A década do exagero pecou por muitos excessos e ficou conhecida como a década do mau gosto, mas a realidade é que os artistas surgidos nesse período nunca deixaram nada a dever aos rockeiros de décadas anteriores, muito pelo contrario. A diversidade de estilos e gêneros foi a chave pra o sucesso e pra transformar o Rock no maior, mais abrangente e mais lucrativo estilo musical de todos os tempos. Nos anos 80 o Rock estava na flor da idade, lá pelos seus quarenta e poucos anos e, vigoroso, gerou filhos e grandes sucessos mundiais para o Hall of Fame of Rock. O Heavy Metal e a New Wave em particular provavelmente foram os grandes responsáveis por esse fenômeno que o Rock se tornou.

Nenhum comentário: